Você sabe fazer a gestão das suas prioridades?

Você quer conquistar, quer realizar seus desejos? Se a sua resposta for “sim”, saiba que, então, está na hora de transformar suas ideias em objetivos e definir prioridades para cada coisa – colocando, urgente, tudo isso no papel. Você também precisa criar etapas dentro de cada objetivo para concretizar o que você deseja. Para isso, você precisa efetivamente entrar em ação. Os dois maiores inimigos da maioria das pessoas para estabelecer e cumprir adequadamente suas prioridades costumam ser procrastinar e trabalhar como um workaholic.

Será que você é um procrastinador? Sabe quando temos algo importante para fazer, mas não conseguimos iniciar? Fazemos todas as outras coisas antes ou não fazemos nada de concreto? Isso é procrastinar. É o hábito de adiar tarefas importantes, muitas vezes algo que está em nossa lista de prioridades para atingir determinados objetivos, deixando para lidar com esta situação depois. Um depois que, com frequência, nunca chega. Esta prática, como eu disse antes, é um dos maiores inimigo de quem está tentando cumprir prioridades. Adiar as prioridades é altamente improdutivo.O curioso é que a procrastinação é uma prática tão antiga e usual no ser humano que pesquisadores até conseguiram compilar uma coletânea de filósofos que estudaram o tema ao longo da história. 

Parar de procrastinar é o grande desafio do profissional que deseja melhorar seu desempenho, cumprir prioridades e, principalmente, atingir seus objetivos pessoais e profissionais. Em resumo, a procrastinação é a prática de desperdiçar tempo com um excesso de tarefas que não geram resultados – e te impedem de cumprir suas prioridades. Você sabia, por exemplo, que uma pesquisa recente mostrou que um indivíduo comum confere seu smartphone, em média, nada menos que 46 vezes por dia? Quanto tempo é perdido nisso? Outro dado interessante: em geral, 80% das mensagens que você recebe por email ou whatsApp não têm importância ou, pelo menos, não exige uma resposta urgente. Estes são apenas dois exemplos de atividades diárias que, efetivamente, “devoram” o seu tempo e, quando você percebe, o dia acabou e várias tarefas definidas por você mesmo como prioritárias simplesmente não foram cumpridas – deixando o seu objetivo um pouco mais distante. Aí você vai embora decidido a compensar isso no dia seguinte. No entanto, quase sempre, a mesma história se repete dia após dia. Existem algumas dicas que podem ajudar você a deixar de ser um procrastinador. Confira:

Dar um primeiro passo. Um bom truque, para começar, é definir uma meta tão baixa que você terá facilidade de cumpri-la, mesmo sendo um procrastinador. O psicólogo e diretor do Centro de Pesquisa sobre Procrastinação da Universidade de Carleton, no Canadá, Tim Pychyl, testou essa abordagem. As descobertas confirmaram sua eficácia. Depois que os alunos começaram, eles avaliaram as tarefas como menos difíceis e menos estressantes, e ainda mais agradáveis do que pensavam. Além disso, completar os micro-objetivos ajuda a dar uma sensação de realização, que serve como combustível para continuar trabalhando.

Gerencie suas emoçõesAcreditar que você deve esperar estar com bom humor para fazer algo é uma armadilha que pode levar à procrastinação. Joseph Ferrari, por exemplo, um professor de psicologia na Universidade DePaul, nos Estados Unidos, descobriu que o pensamento “não estou com humor para cumprir determinada tarefa” pode levar a um ciclo vicioso.

Visualize o seu futuro “eu”“Acreditamos que o “eu” de amanhã ou da próxima semana terá mais energia e mais força de vontade para seguir adiante em alguma tarefa que parece ameaçadora. Mas nós realmente não mudamos muito nesse período de tempo. Reforçar o senso de continuidade – ou seja: entender que o futuro só vai trazer melhorias a sua produtividade se o seu comportamento mudar – pode levar à menos procrastinação, segundo estudiosos do tema.

Faça planos que incluam os imprevistosAinda que você se comprometa a não procrastinar, os imprevistos podem acabar com seus planos. Uma mudança de comportamento pode ser o bastante para prevenir essa situação. É o que defende Thomas Webb, psicólogo da Universidade de Sheffield. Em específico, Thomas considera que adquirir uma atitude baseada na estratégia “se-então” pode ser a melhor saída. Criada pelo psicólogo Peter Gollwitzer, a técnica “se-então” (em inglês, “if-then”) consiste em identificar antecipadamente fatos externos e internos que podem te atrapalhar no cumprimento da tarefa. O segundo passo é pensar, também antecipadamente, na resposta ao “imprevisto”. A reação pode envolver uma ação ou um pensamento.

Trabalhar o tempo todo, de maneira compulsiva, desempenhando sem parar, sem pensar e sem planejar todo tipo de tarefa, pode fazer de você um workaholic. Sim, você se orgulha de trabalhar muito. Mas será que trabalha de maneira organizada e estratégica? O workaholic é aquela pessoa que confunde horas trabalhadas com produtividade. O estresse e o desequilíbrio nos quais ele vive comprometem o seu rendimento porque o workaholic não sabe definir prioridades – e se souber definir, não consegue cumprir – porque ele se acumula de muitas tarefas e, por isso, se considera altamente produtivo. Se isso acontece com você, é importante que você pare, reflita e descubra se você é um profissional com este perfil. O grande desafio para um profissional com este perfil será identificar o que ele pode delegar ou mesmo realocar recursos para evitar acumular tarefas.

E, por último, use o seu tempo emocional. Você já parou para pensar quanto tempo você desperdiça quando se irrita com coisas insignificantes? Ou quando se entrega às preocupações em vez de agir para solucionar o problema? O descontrole emocional gera uma reação em cadeia. Quanto mais você se descontrola, mais perde seu tempo e produtividade. E provoca o mesmo efeito nas pessoas ao seu redor. Pergunte-se: “O que eu, somente eu, posso fazer e que, se for bem feito, fará uma grande diferença para a realização dos meus objetivos?” Esta é a chave da questão.

Aproveite todas essas dicas para identificar as suas prioridades, e estabelecer a direção que deseja seguir nos diferentes aspectos da sua vida. Assim, é só assim, você vai construir um ano realmente novo e mais feliz.



Deixe uma resposta

Open chat
Vamos Conversar?
Olá. Como podemos ajudar?